sexta-feira, 9 de abril de 2010

Os Espinhos do Mundo Apagam a Semente da Verdade – Parábolas de Jesus

“As vezes, os anseios do coração são pela santidade e o Céu; mas não há tempo para retrair-se do tumulto do mundo para ouvir as palavras majestosas e autorizadas do Espírito de Deus. As coisas da eternidade são tidas como secundarias, e as do mundo, supremas. É impossível à semente da verdade produzir fruto; porque a vida é utilizada para alimentar os espinhos do mundanismo.” – Parábolas de Jesus, pág. 51.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O Que Torna O Trabalho Aceitável - Parábolas de Jesus

“Não é a duração do tempo que labutamos, mas a voluntariedade e fidelidade em nosso trabalho que o torna aceitável a Deus. É requerida uma renúncia completa do próprio eu em todo o nosso serviço. O menor dever feito com sinceridade e desinteresse é mais agradável a Deus que a maior obra quando manchada pelo egoísmo.” – Parábolas de Jesus, pág. 402

terça-feira, 6 de abril de 2010

Apenas Crer Não Basta - Parábolas de Jesus

“Não é bastante crermos que Jesus não é um impostor, e a religião da Bíblia não é uma fábula artificialmente composta. Podemos crer que o nome de Jesus é o único debaixo dos Céus pelo qual devemos ser salvos, e contudo podemos não torna-Lo pela fé nosso Salvador pessoal. Não é bastante crer na teoria da verdade. Não é bastante fazer profissão de fé em Cristo, e ter nosso nome registrado no rol da igreja. “Aquele que guarda os Seus mandamentos nEle está, e Ele nele. E nisto conhecemos que Ele está em nós: pelo Espírito que nos tem dado” (1Jo3:24).”E nisto sabemos que O conhecemos: se guardamos os Seus mandamento” (1Jo 2:3). Esta é a evidência genuína da conversão. Qualquer que seja nossa profissão, nada valerá se Cristo não for revelado em obras de justiça.” – Parábolas de Jesus, pág. 312-313.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Nossa Verdadeira Influência Depende Do Que Somos - O Desejado de Todas As Nações

“Nossa influência sobre os outros não depende tanto do que dizemos, mas do que somos. Os homens podem combater ou desafiar nossa lógica, podem resistir a nossos apelos; mas a vida de amor desinteressado é um argumento que não pode ser contradito. A vida coerente, caracterizada pela mansidão de Cristo é uma força no mundo.” – O Desejado de Todas As Nações, pág. 142.

domingo, 4 de abril de 2010

Amar não é Sinal de Fraqueza - O Lar Adventista

“Muitos há que consideram a expressão de amor uma fraqueza e mantém uma reserva que repele os outros. Este espírito detém a corrente de simpatia. Sendo reprimidos, os generosos impulsos sociais mirram, e o coração torna-se desolado e frio. Devemos precaver-nos contra esse erro. O amor não pode existir por muito tempo sem se exprimir. Não permitamos que o coração do que se acha ligado a nós pereça à mingua de bondade e simpatia.” – O Lar Adventista, pág. 107.

sábado, 3 de abril de 2010

Sendo Testemunhas Verdadeiras - Testemunhos Para a Igreja

“Não é somente pregando a verdade, ou distribuindo literatura, que seremos testemunhas de Deus. Lembremo-nos de que uma vida semelhante à de Cristo é o mais poderoso argumento que pode ser apresentado em favor do cristianismo, e que o cristão que não é fiel à sua profissão causa mais dano ao mundo do que um mundano.” – Testemunhos Para a Igreja, Vol. 9, pág. 21

sexta-feira, 2 de abril de 2010

O Papel da Humildade na Conversão de Outros - Testemunhos para a Igreja

“Se nos humilhássemos perante Deus, e fôssemos bondosos e corteses, compassivos e piedosos, haveria uma centena de conversões à verdade onde agora há apenas uma.” – Testemunhos para a Igreja, Vol. 09, pág. 189

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Não Criticar ou Acusar - Evangelismo

“A luta pela supremacia revela um espírito que, se acariciado, finalmente afará do reino do Céu aqueles que o alimentam. A paz de Cristo não pode habitar na mente e no coração de um obreiro que critica e encontra faltas no outro obreiro, simplesmente porque o outro não pratica os métodos que ele considera melhores, ou porque julga que não está sendo apreciado. O Senhor nunca abençoa aquele que critica e acusa seus irmãos, pois esta é a obra de Satanás.” – Evangelismo, pág. 102.